Bruxaria e Wicca não são a mesma coisa.



A Wicca é uma forma de Bruxaria - é como se fosse uma religião institucionalizada da Bruxaria. Há toda uma organização, códigos, leis, liturgias e divindades próprias, que a caracterizam como uma religião. Os praticantes da Wicca são Bruxos também, mas isso não significa de maneira nenhuma que toda Bruxa é da Wicca. Para ser wiccaniano, deve-se ser iniciado em um coven wiccaniano, pois desta forma você aprenderá os ensinamentos secretos de determinada tradição.


Não se sinta perdido. Todos estamos.


O fato é que você deve olhar para dentro de si mesmo e descobrir quem você é em sua real essência. O que você sente? Que tipo de pessoa busca ser? E o que você é, de fato? Não minta pra você. Pergunte a si mesmo qual é a real necessidade de se sentir Bruxa ou wiccana? Por que você não vê como mais importante a sua prática pessoal, não importe o nome que qualquer um (inclusive você) possa teimar em dar a ela?

Buscamos uma religião porque nos sentimos inúteis, pobres de espírito, e esperamos que alguém faça algo por nós. É por isso que vamos a uma igreja, a um centro espírita ou qualquer coisa do tipo - porque alguém lá irá nos aconselhar, de alguma forma. Porque isso é muito mais fácil do que se olhar no espelho e dizer "a culpa é sua, mas ok, o que podemos fazer para melhorar isso?". As pessoas não querem assumir responsabilidades. Mas na Bruxaria, o mínimo que uma pessoa tem que ser é responsável pelos seus próprios atos.


A Bruxaria pode tanto ser a magia simples de uma pessoa que tem duendes no quarto e coloca moedas e doces para eles, quanto a magia que faz a colheita vir farta no próximo trimestre, ou aquela que derrama sangue para alimentar o clã e gerar poder.


Você está pronto para isso? Está pronto para encarar a si mesmo, bater de frente com suas crenças, despir-se de seus preconceitos e chegar a um ponto onde tudo o que poderá fazer é esvaziar a xícara para beber de outro chá?


Então, seja muito bem-vindo ao meu mundo.


Existe algo que você precisa saber



Se você está buscando a Bruxaria, você precisa saber:



Não é em mestres, livros, cursos pagos ou sites que você encontrará a verdade. A verdade está única e exclusivamente dentro de você. Todos esses recursos citados podem lhe ajudar, e definitivamente você pode utilizá-los como recursos, mas nada substitui o que você tem aí dentro, que são os seus sentimentos e intuições.



Ninguém deve dizer a você o que fazer, o que dizer, o que é certo e o que é errado. Observe a natureza, que inclui você mesmo. O que você vê? O que você sente?



Qual a sensação que você tem quando o vento bate no seu rosto? Você conversa com os animais? Já ficou feliz de dançar na chuva? Já fez um pedido de olhos fechados e ele se realizou?



Isso não é Bruxaria, é apenas magia simples, que até crianças fazem e é maravilhoso. A Bruxaria é um ato consciente. É você fazer tudo isso acima, mas de forma consciente, sabendo porque está fazendo aquilo - tem uma INTENÇÃO.



Bruxaria não existe sem intenção. Nenhum tipo de feitiço funciona sem intenção.



E Bruxaria não é só a arte de fazer feitiço. A isso damos o nome de feitiçaria. E sim, as Bruxas são feiticeiras, mas nem toda feiticeira é uma Bruxa. E sabe por quê? Porque na bruxaria temos uma relação íntima com o sagrado - mas o que cada um vê como sagrado é problema seu.



Há Bruxas que são politeístas. Outras são simplesmente pagãs, sem denominações. Outras cultuam o casal divino. Simplesmente não importa o que é considerado sagrado - o que importa é que a Bruxaria é a arte de fazer feitiços sim, mas ligada à divindade. Não existe Bruxaria sem conexão com as divindades e desenvolvimento interior. Não existe Bruxa burra. Não existe Bruxa que faz uma coisa sem saber o que está fazendo. Se isso acontece, você não é uma Bruxa, as Bruxas simplesmente sabem, e fazem.

Você sabe que é um pagão quando...



1) Você é visto conversando com gatos.


2) Eles entendem o que você diz!


3) Eles respondem.


4)Quando perguntam se você acredita em Deus, você responde : "Qual deles?"


5) Você sabe o quer dizer Athame.


6) Você tem um armário cheinho de especiarias e não cozinha.


7) Você sabe que olíbano e frankincenso são a mesma coisa.


8) Toda vez que chega um livro sobre celtas, o proprietário da livraria reserva um para você.


9) Você sabe que há exceções às leis da física...você as causa.


10) A primeira coisa que seus convidados dizem a chegarem em sua casa é : "Oh que belo... belos altares...você tem aqui".


11)No Samhain você grita para as pessoas na rua: "Feliz Ano Novo!".


12) Você têm amigos que dizem que são elfos...vc acredita neles.


13) Você comete pecadossssssss no plural.


14) Logo após sua morte seu primeiro pensamento é: "De novoooooo..."


15)Gaia não é só um personagem do Capitão Planeta.


15) Você acha que as Brumas de Avalon são um texto sagrado.


16) Você sabe que existe um modo correto e um incorreto de traçar um pentáculo. Você sabe porque e pode ensinar isso.


17) Você passou um ano e meio procurando um familiar,


18) Você fala com as árvores.


19) Elas respondem.


20) Você sabe que fadas e dragões existem. Você já falou com eles.


21) Pintar você mesmo de azul, ficar nu, arrepiar os cabelos dançando e passar a noite em volta de uma fogueira significam um programa legal de fim de semana.


22) Você conhece o simbolismo de um Mastro de Beltane.


23) Você já terminou um telefonema com Blessed Be!


24) Seus filhos saem por ai explicando que os Deuses amam a diversidade


25) Você está lendo esta lista.


26) Você entende o que está nesta lista!


27) Você tem coisas a acrescentar nela!

SER BRUXA II...

Transformar-se em bruxa é um processo lento e cheio de cuidados. É necessário um doce encanto da grande Mãe Terra: o trabalho da Lua e seus ciclos, o calor do Sol e a dança silenciosa dos Astros.
De repente você se vê perdida observando o passar das nuvens, o colorido da natureza, arrepiando-se com o vento morno das tardes de verão, sentindo o fluxo da Lua em seu corpo, e, quando se dá conta, aconteceu: a bruxa nasceu!
Outras coisas acontecem, como o telefone tocar e se saber quem é, pensar na pessoa e ela aparecer. Mas a alquimia do cozinhar é uma das experiências mais fortes na velha arte da bruxaria.
Quando se cozinha, os elementos estão em nossas mãos, fazemos o supremo feitiço da transmutação da matéria. A transformação do trigo em pão, do vinho em vinagre, o poder mágico dos ingredientes.
Com o ato de cozinhar você se verá com a sensibilidade da Lua, o profundo olhar prateado que tudo vê e descobre. Cozinhar é o mais sagrado ritual. No ato de transformar os alimentos estamos nos transformando. Claro que quem cozinha sem amor e concentração, como se fosse um sacrifício, produz alimentos sem mágica, sendo só um amontoado de massa que se digere sem prazer...

Descobrimo-nos bruxas quando conseguimos nos perceber enquanto mulher. De nada adianta querer ser feiticeira se não se conhece o segredo do feminino! É necessário primeiro o reconhecimento da fêmea que trazemos dentro de nós, essa parceira desconhecida que nos acompanha desde o nosso nascimento. Uma parceira silenciosa, que aponta a cada instante o caminho da sensibilidade...

O universo feminino foi por séculos sufocado por uma sociedade fálica, onde predominou a linguagem do poder. Nesse discurso, não encontramos em momento algum a doçura da transcendência. Tudo fica estabelecido num sistema quadrado, composto por retas e inibidor de curvas. Voltas sinuosas que nos indicam sempre o caminho da profundidade.
Só seu coração poderá sentir o chamado...


CARTA DE UMA BRUXA

Eu sou uma bruxa. Não trabalho para o demônio, não estou interessada no Satã. Satã foi inventado pelos cristãos. Satanismo é uma forma de cristianismo. Eu não sou um cristão.

Eu não vou a igreja aos domingos. Eu não temo ir para o inferno porque eu acredito no inferno tanto quanto acredito no Satã.



Eu acredito em reencarnação; que voltarei para este mundo ou outro, e viverei outra vida.

Eu não sou má. Dizer as pessoas que eu sou uma "boa bruxa" ou perguntar me se sou uma boa bruxa implica que há más bruxas. Há pessoas más no mundo , e há pessoas que escolhem usar com as forças da natureza no propósito para fazer mal aos outros; essas pessoas não são bruxas. A lei principal da bruxa é "Faça o que quiseres sem a ninguém prejudicar".

Por favor não me pergunte sobre sacrifício de gatos ou profanação igrejas. Eu amo meus gatos. E eu não vou a igrejas e sinagogas a menos um amigo de outra religião me convide para uma ocasião especial. E se tenho que entrar numa igreja, eu não vou sofrer um "ataque divino". E se um cristão, ou um Judeu, ou um budista vem a um ritual pagão, nossos deuses não atacarão até morrer. Não é isso algo a se pensar?

Vestir um pentáculo não é diferente que vestir uma cruz, crucifixo ou uma estrela de Davi. Se você quer que eu retire o símbolo da minha religião (e Wicca é uma religião, protegida pela mesma Primeira Emenda dos Direitos como outras religiões.) por que é ofensivo, você precisa fazer com que cada um de cada religião o faça também. Os cinco pontos da estrela simbolizam os cinco elementos: Terra, Ar, Fogo e Água, e o quinto ponto é o Espírito. Circundado pelo Mundo. Como que pode ofender, não dá para imaginar. Uma imagem de um torturado, um homem agonizando é mais ofensiva, e mesmo assim, milhares de pessoas usam crucifixos todo dia.

Também, não me pergunte se eu estou num coven com aquele jeito horripilante, meio aquele tom de voz "fascinada". Se eu quero falar sobre meu coven, eu irei educá-la. Se sou um praticante solitário, eu não tenho coven para discutir.

Em qualquer caso, em nossos rituais temos velas, comida, bebida, poesias, dança...sim, há uma faca, mas ela só corta o ar, e não carne de alguém.

Eu não bebo sangue. Não sou a mesma coisa que vampiro. Eu visto preto porque isso mantém a negatividade fora e porque fica melhor em mim que laranja e bolinhas roxo/púrpura.

Se você quer me perguntar algo relacionado a minha religião, pergunte-me quando a próxima lua cheia vai chegar. Ou melhor, quando a próxima lua azul vai chegar. Ou pergunte o que a lua azul. E Pergunte-me sobre ervas. Cristais. Curas. As vezes me pedem para fazer uma poção do amor. Mas eu não lanço feitiços em outras pessoas e não lançarei um feitiço em você para ficar linda, magra, mais atraente . E eu não vou lançar um feitiço no seu "desejado" para fazer ele te amar . Acredite-me, você não quer isso. Isso é forma de manipulação , mandar em alguém , infringe na sua liberdade. Não é bom para ninguém.

E também não vou lançar um feitiço para alguém parar de fazer algo contigo. Magia funciona como uma co-criação. Uma bruxa funciona com energia universal, com os deuses, "inclinando" a máquina de probabilidade para algo.

Precisa de dinheiro? Não tente enfeitiçar seu chefe a dar um aumento. Simplesmente peça ao Universo que aumente os "fluidos" de abundância e prosperidade em sua direção . Isso não afeta ninguém.

Última coisa; dar-me um livro sobre a inquisição é como dar um livro sobre o Holocausto a um judeu. Não é engraçado, é rude.

Por favor não tente me deixar envergonhada com o que faço ou o que sou. Por favor não tente me converter ou me "salvar". Não atire água benta em mim.

Não me deixe "santinhos" sobre minha mesa ou pára-brisa. Eu não necessito ser salva.

Nós somos orgulhosas pelo fato de não precisarmos recrutar pessoas para serem bruxas. Nós simplesmente somos, e todos a nossa volta nos verão como pensamos, como agimos, na nossa paz interior, e só quando uma pessoa diz "como faço para me tornar um bruxa?" nós fazemos ela adentrar conosco.

Eu nunca irei deixar uma propaganda da religião com alguém. Eu não tenho uma propaganda, a não ser que considere esta carta como uma. E eu não estou interessada em convertê-lo. Eu só peço a você que me compreenda. E se não quiser me compreender, apenas me deixe sozinha.

Abençoados sejam,
Uma bruxa

Autoria: desconhecida

A CARGA DA DEUSA



Com certeza é o texto mais importante que temos na Wicca. O Chamado da Deusa (também conhecido por Os Encargos da Deusa, O Papel da Deusa, a Exortação da Deusa ou a Carga da Deusa) foi escrito originalmente por Gerald Gardner, em 1949.

 
Ouçam vós as palavras da Grande Mãe, que desde os dias antigos foi chamada entre os homens de Ártemis, Astarte, Dione, Melusine, Aphrodite, Cerridwen, Diana, Arianrhod, Bride e por muitos outros nomes.



"Nos meus altares na juventude da Lacedaemon em Esparta faziam-se sacrifício a mim. Sempre que vós tiverdes quaisquer necessidades, uma vez ao mês, e melhor seria quando a lua estiver cheia, então vós deveis vos reunir em algum local secreto e adorar o meu espírito, eu que sou a Rainha de todas as bruxarias e magias."



"Lá vós deveis vos reunir, vós que estais ardorosos para aprender toda a feitiçaria, mas que ainda não aprendeis os seus segredos mais profundos; a estes eu vou ensinar aquilo que ainda é desconhecido."



"E vós deveis ser livres de toda servidão; e como sinal de que vós sois realmente livres, vós deveis apresentar-vos nus em seus ritos, tanto os homens quanto as mulhers, e vós deveis dançar, cantar, comer, tocar música e fazer amor, tudo em meu louvor."



"Há uma Porta Secreta eu criei para construir um caminho para provar mesmo na terra o elixir da imortalidade. Diga, 'deixe o êxtase ser meu e alegria na terra mesmo ser minha, Minha'. Pois eu sou a Deusa graciosa. Eu dou prazeres inimagináveis na terra, certeza, não fé, ainda em vida! E após a morte, paz inexprimível, descanso e êxtase, e eu não exijo nada em sacrifício."



Ouçam vós as palavras da Deusa Estelar.



"Eu vos amo: eu sinto a vossa falta: pálidos ou corados, velados ou voluptuosos."



"Eu, que sou toda prazer e embriaguês dos sentidos mais secretos, vos desejo. Vistam as vossas asas, acordem o esplendor reprimido dentro de vós.



"Venham a mim, pois eu sou a chama que queima no coração de cada homem e o centro de cada Estrela."



"Deixem que seja o seu self divino mais profundo ser o que permanece absorto em êxtase de gozo eterno."



"Deixem que os rituais executados corretamente com alegria e beleza. Lembrem que todos os atos de amor e prazer são meus rituais. Então deixe haver beleza e força, riso solto, força e fogo dentro de vós."



"E se vós dissereis 'eu rumei em tua direção e isso não me beneficiou', seria melhor vós que vós dissestes 'eu chamei por ti e esperei pacientimente e tu estivestes comigo desde o começo', pois aqueles que sempre me desejaram devem sempre me alcançar, mesmo ao fim do desejo"




Por Gerald Gardner, 1949.

SER BRUXA ...

Ser Bruxa é assumir o nosso lado magia, assumir o nosso lado sedutor, assumir o feminino com todo o seu potencial.


Toda mulher é uma bruxa em potencial, não aquela bruxa da Idade Média, mas a bruxa urbana, aquela que sabe transmutar o ódio em amor, o rancor em confiança, a tristeza em alegria.

Ser bruxa é ser sensível, ser forte, ser luz e as vezes, sombra.

Ser a emoção na sua máxima vibração e quando precisar, ser só a mente.

Ser bruxa não é só manipular os elementos externos com sabedoria, os símbolos, os objetos de poder, trabalhar com os raios lunares nos dias e horários apropriados.

Ser bruxa é ser lunar e solar, ser calor e frio, ser masculino e feminino.


O poder da mulher reside na sua força quando pensa que está fraca, reside na sua sabedoria quando pensa que não tem sentimentos amorosos à distribuir.

Existe dentro de nós mulheres, a criação e a criatividade, a passividade e a inércia que devem ser transmutadas em atividade e sabedoria.

Enfim tantas virtudes podem ser ditas... Somos o Sal da Terra!

Alguém que descobriu que carrega dentro de si o poder e a magia..



10 MANDAMENTOS da BRUXARIA

1- Farás tudo o que tens vontade, desde que não prejudique ninguém.

2-Tudo o que fizeres voltará triplicado.

3-Estarás sempre em equilibrio com os quatro elementos e todos os seres da natureza.

4-Nunca negarás uma informação, tu és responsável pela perpetuação das tradições.

5-Terás consciência de que o Universo se formou através de duas grandes forças: masculina e feminina.

6-Saberás ouvir seu próximo, respeitando sua evolução.


7-Terás consciência de que nunca saberás tudo. Aprenderás sempre com o nascer do Sol, com o brilho das Estrelas, com a claridade da Lua, com a sabedoria do idoso e com o sorriso da criança. Serás sempre humilde para falar: isso eu não sei.


8-Serás sempre alegre e passarás alegria aos que te cercam.


9-Também serás livre e deixarás todos livres; nunca prenderás ninguém em tuas convicções ou desejos somente para satisfazer-te.


10-Trabalharás sempre com magia tendo: higiene, paciência, prudência, discrição, respeito, coragem, afinidade, compaixão, disciplina e estabilidade



FONTE:Natália Greggio

Invocação da Alegria

Bruxaria - crenças


WICCA (que também é conhecida como "Arte dos Sábios", ou, muitas vezes, somente como "A Arte") é uma religião panteísta, politeísta e faz parte de um ressurgimento atual do paganismo, ou movimento neopagão, como muitos preferem chamar.

A Wicca é uma religião de natureza pagã, com duas deidades maiores reverenciadas e adoradas em seus ritos: A Deusa (o aspecto feminino e deidade ligada à antiga Deusa Mãe em seu aspecto triplo de Virgem, Mãe e Anciã.) e seu consorte, o Deus Cornífero (o aspecto masculino e deidade ligada ao Deus Caçador, apresentado como Criança da promessa, Fertilizador e Ancião). Seus nomes variam de uma tradição wiccaniana para outra, e algumas utilizam outros panteões para representar várias faces e estados de ambos os DEUSES .


Os bruxos não acreditam no demônio, porque o demônio veio depois, sendo invenção da igreja política do século XIV, que precisava de um adversário tangível para combater, em vista da continuação da crença no PAGANISMO por quase todos os camponeses. A palavra "diabo" significa "estrangeiro" na língua cigana, mas para tornar esse adversário um anticristo, os chifres do deus grego Pã, o rosto de bode, mais os aspectos fogosos do Belzebu fenício contribuíram para a criação de uma força artificial do mal chamada diabo. Que essa invenção sem sentido tenha sobrevivido setecentos anos de iluminismo é surpreendente. Mas sobreviveu. E essa invenção foi e ainda é a causa da morte, loucura, e sofrimento de milhões de pessoas.

Os bruxos não têm familiares, isto é, animais a quem ordenam realizar o que desejam. Podem ter animais domésticos, pois a santidade de todas as formas de vida é parte da crença da Bruxaria. Os bruxos não lançam feitiços à toa, não atacam ninguém por um simples capricho, pelo contrário, normalmente auxiliam aqueles que precisam, pois sabem que cada ser no universo é parte deles. Desde os tempos antigos, as comunidades agrícolas e, conseqüentemente, seus ritos estavam relacionados com a procriação dos animais.

Seu rito de fertilidade, no qual os membros femininos da comunidade ou Coven dançavam ao redor do círculo sagrado montados em cabos de vassouras (símbolo da domesticidade), a fim de mostrar aos grãos até que altura deveriam crescer, transformou-se na fantasia da viagem pelo céu num cabo de VASSOURA . O companheiro simbólico da Deusa-Mãe, chamado de Deus Cornudo, transformou-se no demônio da igreja hostil, só porque o sumo sacerdote usa um elmo ornado de chifres durante as cerimônias.


A maioria dos pagãos parece concordar com várias dessas crenças comumente sustentadas:


1 - A divindade é imanente ou interna, bem como transcendente ou externa. Isso é expresso com freqüência nas frases: "Tu és Deus" e "Tu és Deusa". Isso pretende representar que os DEUSES tanto estão no Universo, no Planeta, quanto dentro de cada um de nós. Nós somos manifestações dos Deuses, assim como os animais, os vegetais e os minerais.

2 - Uma multiplicidade de DEUSES e deusas, como deidades individuais e como facetas dos dois Aspectos Divinos.

3 - AMOR e respeito pela Natureza como algo divino por direito próprio faz da conscientização ecológica e dessa atividade uma obrigação religiosa.

4 – Respeito para com todas as religiões, inclusive as organizações religiosas monolíticas, porém não possuímos nenhuma ligação ou crença em igualdade com tais religiões e possuímos desconfiança de supostos messias e gurus.

5 - A convicção de que os seres foram feitos para viver vidas repletas de Amor, alegria, prazer e humor. A concepção de "pecado original" inexiste.

6 - O direito de agir como bem quiser, desde que isso não prejudique a ninguém.

7 - O conhecimento de que, com treinamento e intenção apropriados, as mentes e os corações humanos são totalmente capazes de realizar magia.

8 - A importância da conscientização e celebração dos ciclos solar e lunar e também de outros em nossas vidas.

9 - Uma grande fé na capacidade das pessoas de resolverem seus próprios problemas e dificuldades.

10 - Um total compromisso com o crescimento e equilíbrio pessoal e universal. Espera-se que o pagão realize esforços intermitentes nessas direções.


O dogma principal da Arte WICCA é o Conselho Wiccaniano, um código moral simples e benevolente Ou, em outras palavras, você é livre para fazer o que quiser, contanto que, de forma alguma, prejudique alguém - nem mesmo você. (O Concelho Wiccaniano é extremamente importante e não deve ser esquecido na realização de qualquer ENCANTAMENTO ou RITUAL mágico, especialmente naqueles que podem ser considerados como não-éticos ou de natureza manipuladora).

pirâmide dos bruxos


O Trabalho mágico de uma BRUXA ou Bruxo exige seriedade e quatro características básicas:


A-) SABER
- Conhecer a si mesmo.
- Conhecer sua arte.
- Saber o que fazer.
- Saber como fazer.
- Saber quando fazer.
- Saber quando não fazer.
- Saber o que você quer realizar.
- Especificar bem o que você vai fazer.
- Criar um sigilo com as palavras.
- Saber trabalhar com moderação.


B-) QUERER
- Acreditar em você mesmo.
- Acreditar na divindade.
- Acreditar em suas habilidades.
- Acreditar na abundância do Universo.
- Ter a vontade de praticar de novo e de novo.
- Habilidades de meditação
- Praticar visualização.
- Praticar RELAXAMENTO .
- Praticar um estado alterado de consciência.
- Praticar para ser capaz de fazer rápido e certo.
- Ter em mente com muita clareza o porque você quer realizar essa operação mágica.
- Observar se sua vontade está corretamente direcionada.
- Observar se não vai influenciar negativamente outra pessoa.
- Observar os aspectos de não prejudicar ninguém.
- Usar uma ferramenta adivinhatória para checar se seus planos são válidos, se está numa boa hora de pô-los em prática.


C-) OUSAR
- Ter a coragem de mudar as circunstâncias.
- Ter a coragem de controlar seu ambiente.
- Ser responsável por suas ações.
- Escolher o melhor curso de ação para o trabalho a ser feito.


D-) CALAR
- Aprender a manter a boca fechada antes do trabalho.
- Aprender a manter a boca fechada enquanto espera pelos resultados.
- Aprender a manter a boca fechada depois do trabalho.
- Proteger sua confiança.
- Proteger sua reputação.
- Proteger sua energia.

A BRUXARIA - WICCA

Bruxaria é o ofício/prática/vivência das antigas religiosidades dos povos da Europa, que após quase 2000 anos de exclusão e "desaparecimento" ressurgiu nos idos de 1940 sob o nome de WICCA.



A palavra WICCA vem do inglês arcaico significando “O praticante de Magia”, e tem ligação direta com o termo saxão Wich que significa "girar, dobrar ou moldar". Vemos também variações deste termo em diversos outros idiomas sempre expressando algo religioso e relacionado à Magia.

Bruxaria/feitiçaria, é um termo derivado da palavra anglo-saxônica Wiccacraft, que significa "a arte dos sábios". Referia-se ao conhecimento superior possuído por certos indivíduos numa comunidade, conhecimento da natureza, da herbologia, das forças naturais que nos cercam, de certos aspectos da CURA e da medicina e da capacidade de contatar a divindade.


A WICCA é uma Religião que celebra a natureza e que busca sua inspiração nas religiões pré-cristãs de culto aos Deuses, nas celebrações dos ciclos anuais das colheitas, no culto do Deus fertilizador da TERRA e da Deusa Mãe criadora de tudo, e em várias outras expressões religiosas primitivas com uma forte ligação com a natureza e com os ciclos da vida.

A WICCA baseia-se no equilíbrio e polaridade das energias, que através de ritos religiosos e práticas de magia coloca o homem em contato direto com a natureza, resgatando assim o verdadeiro sentido da palavra Religião (Religare= religar), religar o homem àquilo que ele foi desligado.



Os objetivos da BRUXARIA são: o autoconhecimento, a harmonia com os ritmos do Sol e da Lua, a compreensão dos poderes da natureza e a busca de um novo equilíbrio do homem com o seu meio.

A BRUXARIA reconhece o Dualismo Divino e sendo assim reverencia a Deusa criadora de todas as coisas e o Deus o poder fertilizador.

A energia estática, negativa e magnética (minos) seria a força da Deusa. A energia positiva, ativa e móvel (plus) seria a força do Deus. Ambas são opostas e complementares, uma dá origem à outra, juntas são a manifestação e equilíbrio do Universo.

A WICCA busca muito de sua inspiração nos mitos e Divindades celtas, gaulesas e irlandesas, recorrendo entanto a fontes clássicas (greco-romana) e diversas outras tradições populares.


Para os conceitos da BRUXARIA as palavras DEUSA e DEUS abarcam toda a magnitude do Universo.


Os DEUSES seriam a manifestação criadora da qual procedem todas as criaturas. Eles estão presentes dentro e fora de nós, poder esse chamado de imanência.
A BRUXARIA ensina seus praticantes a compreenderem o Universo, o nosso lugar e papel dentro dele.

A utilização da Magia, entendida como um conjunto de técnicas capazes de manipular energias naturais, é a parte prática que mais distingue a Wicca.
As bases da BRUXARIA encontram-se na invocação e manipulação das forças energéticas presentes no inconsciente coletivo, que devem ser trabalhadas por meio da intuição e emoção.
As energias divinas com as quais trabalhamos são as forças arquetípicas da psiquê humana.


Um Bruxo conhece, canaliza e utiliza corretamente esta energia.

Os fundamentos da BRUXARIA estão em conhecer, penetrar e respeitar a natureza que é a própria manifestação da Deusa.
A proposta da BRUXARIA é harmonizar o homem com o ritmo da natureza e fazer com que ele entenda as forças interiores e exteriores, pois é desta forma que se mantém o equilíbrio e inter-relação com os Deuses.

A BRUXARIA também se propõe a recuperar a complementaridade entre homens e mulheres, pois cultua a Deusa e o Deus, mesmo dando à Deusa um papel de destaque, quer nas suas práticas quer nos seus mitos.

Na atualidade onde dificilmente há lugar para expressão dos valores femininos e onde não existe qualquer figura feminina como caráter sagrado principal, a perspectiva matrifocal da WICCA contribui para sua divulgação tanto junto aos homens como das mulheres.

A WICCA é uma Religião onde tudo que é ensinado visa um aperfeiçoamento do ser para a sua vivência em grupos de forma harmônica. Algumas leis são criadas a partir de duas outras leis básicas, que são fundamentais para a compreensão das práticas e comportamentos dentro do meio WICCANO , são elas:



“Faz o que tu queres, desde que não prejudique ninguém, nem a si mesmo”



“Toda ação gera uma reação, esteja pronto para arcar com as conseqüências dos seus atos, sem jamais culpar ninguém além de si”.

Freqüentemente, WICCA inclui a prática de várias formas de Alta Magia (geralmente com propósitos de CURA psíquica ou física, neutralização de negatividade e crescimento espiritual) e ritos para a harmonização pessoal com o ritmo natural das forças naturais marcadas pelas fases da lua e pelas quatro estações do ano.


A julgar pela quantidade de correspondência e indagações, há um interesse cada vez maior em tornar-se pagão; os jovens, especialmente, parecem desiludidos com suas igrejas estabelecidas e buscam novas orientações religiosas; não pelo desejo de ter uma experiência excitante, mas por uma desilusão genuína com a religião em que foram educados. Muito poucos pedem para entrar em contato com o coven de bruxos mais próximo, com a finalidade de ajustar contas com alguém, achando que vão aprender a fazer feitiços praticamente da noite para o dia. De vez em quando, alguém se queixa de que um vizinho o enfeitiçou e pergunta se poderia também aprender a enfeitiçar o vizinho.

Embora a necessidade de sigilo não seja mais essencial, já surge outro perigo no horizonte do emergente movimento neopagão. Os grupos e indivíduos pagãos, à medida que se libertam da perseguição, adaptam rapidamente os métodos da religião convencional às suas próprias necessidades. Grupos rivais acusam-se dessa ou aquela transgressão da "lei", como se houvesse de fato uma lei ESCRITA no paganismo. Rivalidades entre os bruxos, quanto à atitude mais adequada, acusações respondidas por outras acusações e a ocupação constante com palavras e discussões passou a ser a marca registrada de muitos pagãos hoje em dia. Em muitos grupos pagãos, os iniciados adotam nomes secretos pelos quais se reconhecem mutuamente. Isso se baseia na velha crença de que há poder não só nas letras, mas também nas palavras e em frases inteiras.

Conseqüentemente, mudar do nome leigo para o nome pagão separa o mundo material do mundo ESPIRITUAL . Não há nada em qualquer das crenças pagãs, que seja de alguma forma perigoso para a comunidade ou um convite aberto à rebelião política.

Faz parte da natureza dos grupos pagãos, em geral, que eles reúnam e se dissolvam com bastante freqüência, sendo muito mais efêmeros do que as comunidades cristãs ou outras comunidades religiosas. As pessoas se reúnem por uma razão; agrupam-se em torno de um determinado líder ou ideal e, quando se cansam disso, ou descobrem que seu líder tem pés de barro, afastam-se e encontram novas válvulas de escape para sua expressão religiosa.


A Lei Tripla (ou Lei de Três) é uma lei energética de retribuição que se aplica sempre que você faz alguma coisa, seja ela boa ou má. Não que você será "castigado" por um ato mau, porém, quando você envia uma energia, o curso natural dela é voltar a você. Assim, caso envie algo de negativo, essa força fará seu caminho, se fortificando, e retornará até você.

Muitos Wiccans usam um ou mais nomes secretos (também conhecidos como nomes mágicos, ou nomes de iniciação) para significar o renascimento ESPIRITUAL e uma nova vida dentro da Arte.



FONTE: Old religion

A Verdade Sobre Nós Bruxas e Bruxos


Nós não somos maus.

Nós não prejudicamos ou seduzimos pessoas.

Nós não somos perigosos.

Nós somos pessoas normais como você.

Nós temos famílias, empregos, esperanças e sonhos.

Nós não somos um culto.

Esta religião não é uma piada.

Nós não somos o que você acha que somos quando vê TV.

Nós somos reais.

Nós Rimos e Choramos.

Nós somos sérios, mas também temos senso de humor.

Você não precisa ter medo de nós.

Nós não queremos converter você.

E por favor não tente nos converter.

Apenas nos dê o mesmo direito que nós damos a você: Viver em Paz.

Nós somos muito mais similares a você do que você imagina!

Escrito por Margot Adler

FAMÍLIA PAGÃ


A estrutura familiar pagã difere em muitos aspectos da cristã devido à diferença de crenças e conceitos que existe entre tais contextos religiosos. Enquanto numa família tradicional cristã falar sobre sexo é um tabu, dentro da família pagã esse é um assunto natural e necessário. A família pagã apesar de ser muito mais livre de preconceitos não é tão libertária como muitos imaginam. O respeito ao direito de escolha do outro é visado, mas a ética, a cidadania e a boa convivência social e familiar são exigidas.

SEXO - Os pais pagãos devem adaptar-se as crenças e conceitos pagãos e serem capazes de eliminar seus preconceitos, normalmente vindos de uma criação cristã, para saber lidar com seus filhos e lhes passar a “moral e bons costumes” de acordo com o PAGANISMO . Conversar sobre sexo e a sexualidade deve ser uma coisa natural, sem amarras, preconceitos e punições pelo que quer que seja. Os filhos precisam entender a beleza e sacralidade por trás da sexualidade, compreendendo suas responsabilidades quanto à preservação dos sentimentos e da saúde. Precisam ler livres em suas escolhas de parceiros, incluindo nisto o direito a liberdade de gêneros, precisam ter responsabilidade e conhecimento total sobre doenças transmissíveis, gravidez e afins.

UNIDADE FAMILIAR - Os pais pagãos devem ensinar os filhos a terem respeito e darem valor à família, respeitando os mais velhos, respeitando o casamento ou compromissos assumidos com as pessoas, precisam celebrar juntos, auxiliar uns aos outros e respeitar as diferenças. Numa família pagã não deve existir a imposição de conceitos ou crenças, tudo deve ser conversado, explicado e deve-se dar o direito de escolha a todos. É extremamente importante que aqueles da família que seguirem a mesma religião celebrem juntos e auxiliem uns aos outros. Além disso, os pais devem se comprometer e muito com a educação dos filhos fazendo o possível para que eles criem discernimento para tomarem suas decisões com sabedoria.

CHEFE DE FAMILIA – Enquanto na família cristã o chefe de família é o homem, na família pagã não há o chefe de família, mas os chefes. Ambos, pai e mãe, são responsáveis pela manutenção da casa e criação dos filhos não existe essa coisa de “lugar de mulher é na cozinha”. Assim como não é responsabilidade apenas do homem em manter financeiramente o lar. Os filhos precisam ser criados sem machismos ou feminismos exagerados, eles precisam compreender que o casal tem responsabilidade sobre o lar e que o casamento representa uma unidade, uma troca, companheirismo em todas as áreas. O pai não deve jamais tirar o poder da mãe sobre os filhos e vice versa. Antes de permitir ou negar qualquer coisa aos filhos os pais devem decidir e dar uma opinião única. Assim não haverá preferência e tão pouco a criação de estruturas como “Minha mãe é boazinha e meu pai é um carrasco”.

CASAMENTO Assim como nos outros modelos familiares o casamento é sagrado, representa o compromisso entre duas pessoas com a intenção de formar uma família. O casal deve ter responsabilidade e serem verdadeiros para com seu casamento, devem buscar formas de manter o casamento feliz e estável e não permitir que influências externas desequilibrem suas emoções e comprometimentos. Os filhos não devem se meter no casamento dos pais, mas quando se sentirem desconfortáveis com algo eles devem conversar com eles, assim como é essencial que os pais sempre conversem com os filhos sobre tudo que for possível em relação ao seu casamento. Para que assim os filhos tenham condições de compreender melhor o que o casamento significa para que possam tomar boas decisões no futuro.

MANUTENÇÃO DO LAR – Esta responsabilidade cabe tanto aos pais quanto aos filhos, limpar, organizar, preservar. Os filhos precisam aprender desde novos a ter responsabilidades em casa, como lavar suas roupas e louças sujas, arrumar seus quartos, fazer deveres de casa e etc. Os pais também precisam assumir suas responsabilidades com a LIMPEZA , manutenção, consertos, alimentação, celebrações e afins. Um lar é formado por toda a família que vive nele e não apenas por alguns indivíduos.
fonte: Old Religion

Wicca - trechos de alguns autores


“A WICCA é a continuação de uma tradição de mistérios muito antiga, que veio para o ocidente a partir de 4000 a.C., unindo-se aos cultos ainda existentes e sendo posteriormente assimilada pelos celtas durante sua vinda para a Europa”. (...) “Mas se quisermos encontrar as bases da Wicca, devemos procurá-las nos cultos Paleolíticos da Velha Europa, que se estabeleceram mais tarde entre os minóicos, os etruscos, os gregos e posteriormente os romanos”. [MARTINEZ, p. 17]

“Wicca é uma religião de veneração da Natureza e da Divindade, ambos contendo os aspectos femininos e masculinos. É encontrada nas raízes espirituais das crenças e práticas Européias pré-cristãs. Quando a WICCA veio a público pela primeira vez no inicio dos anos 50 através dos esforços de Gerald Gardner, ela foi retratada como remanescente do antigo culto de fertilidade Europeu. Os praticantes se referem à WICCA como a Antiga Religião. Ela também era conhecida como a Arte dos Sábios. Superficialmente a WICCA moderna parece ser um sistema folclórico de magia tradicional”. [GRIMASSI, p.294]

“Wicca (nome alternativo para a arte da feitiçaria moderna) é uma religião de natureza xamanístíca, positi¬va, com duas deidades reverenciadas e adoradas em seus ritos: a Deusa (o aspecto feminino e deidade ligada à antiga Deusa Mãe em seu aspecto triplo de Virgem, Mãe e Anciã) e seu consorte, o Deus Chifrudo (o aspecto masculino)”. [DUNWICH, p. 08]

“A WICCA é uma religião filosófica (com certeza), mas com fundamentos e bases inegáveis”. (...) “A WICCA é realmente a religiosidade que se fundamenta nos ciclos naturais da terra. Uma tentativa do resgate mesmo que em novos moldes da consciência pagã de outrora”. (...) “Assim, a WICCA tem seus RITUAIS e filosofia fundamentados nas práticas agrícolas, pastoris e de respeito à TERRA iniciadas no paleolítico e neolítico”. [MILLENNIUM p. 07 e 18]

A Arte

Arte é a palavra geralmente usada para designar Wicca.

A Arte, não é para todos.

Ela não é para aquelas pessoas que gostam de brigar ou de se bater contra o cristianismo.
Ela não é para aqueles que costumam passar a perna nos outros para alcançar o sucesso.
Ela não é para os fanáticos nem para os fanfarrões ou que se acham melhores do que os outros.
Ela tampouco é um jogo.
(...)
Mas se a Arte não é nada disso, o que realmente ela é?
A Arte é receptiva, generosa e adorável.
Ela é gentil, fácil e prestativa.
Ela é uma forma ética de vida que, uma vez adotada, traz uma felicidade imensa a cada dia vivido.
A Arte é uma religião séria!
Envolve trabalho, devoção e aplicação na vida cotidiana, da mesma forma que exige ação, reflexão e comportamento sensato.
Os praticantes da Arte se autodenominam como bruxos.
Na língua inglesa, a palavra" witch" vem de" wicce" , termo anglo-saxônico que significa "aquele que é sábio" ou "bruxaria".
E a palavra Wicca, também derivada destes mesmo termo.
Sendo assim, tanto homens como mulheres, se identifiquem como wiccanianos.


Trilhando o Caminho:

Para que o caminho da Arte seja trilhado com êxito, é preciso saber que ele envolve uma série de coisas.
Em primeiro lugar: boas maneiras.
Isso é fundamental, quer você lide com as Divindades e os membros de sua família na Arte ou com as pessoas na rua.

Preceitos:

* Ter a lei Wiccaniana em aliança, em perfeito amor e perfeita confiança.
* Viver e deixar viver; e com justiça dar e receber.
* Três vezes o círculo traçar para os maus espíritos expulsar.
* Para o feitiço ficar atado, é preciso que ele seja rimado.
* Com doçura olhar e com carinho tocar; e falar pouco e muito escutar.
* Com a lua crescente seguir em frente, cantando e dançando a runa da bruxa feliz e contente.
* O sentido anti-horário vem com a lua minguante, e o uivo do lobisomem ecoa apavorante.
* Se a lua no céu está nova, beije sua mão duas vezes em louvor à dama que a tudo renova.
* Quando ao apogeu a lua chegar, é hora do seu desejo falar.
* Quando a tempestade do vento norte chegar, é hora de trancar a porta e o barco abandonar.
* Quando do sul vem o vento, o amor desabrocha a cada momento.
* Quando o vento oeste põe as árvores a balançar, os espíritos dos mortos não estão a descansar.
* Nove galhos no caldeirão: queime-os depressa e também com lentidão.
* Muita antiguidade a senhora árvore pode ter - não a queime para amaldiçoado não ser!
* Quando a rodar começar a girar, deixe o fogo de Beltane queimar.
*Quando a roda em Yule chegar, acenda a cabana e deixe Pã reinar.
* Cuide da flor, do ramo e da árvore com muito cuidado, pois pela senhora será abençoado!
* Onde um fluxo de água você vê, atire uma pedra para a verdade saber.
* Por maior que seja seu querer, não inveje o que o outro venha a ter.
* Toda festa é um feliz encontro, ilumine a alma e põe o coração no ponto.
* Da Lei Tríplice não se deve esquecer, pois de duas ocasiões ruins, três boas você vai ter.
* Quando o infortúnio chegar, coloque a Estrela Azul no seu olhar.
* Com o tolo nenhuma estação quer estar, e nem com os amigos ele pode contar.
* O verdadeiro amor sempre perdura, mas o falso nunca dura.
* O desígnio Wiccaniano uma boa verdade tem: deseje o que quiser, mas sem magoar ninguém!

fonte: A Arte - O livro das Sombras de uma Bruxa.
Dorothy Morrison

Duvidas dos leitores

E-mail da Dani

"Olá!!!
Ah... o blog é fantástico! Que ótima oportunidade de saber a respeito das bruxas de uma forma clara e única assim. Parabéns!


Eu li algumas postagens... o 'ritual' e detalhes da história desses serzinhos tão intrigantes e especiais me lembrou alguns costumes das amazonas gregas. Em um seriado que assisto, havia uma bruxa que houvera sido amazona. Logo, sem querer, fiz uma ligação entre os dois mundos (amazonas, bruxaria), talvez por ser um pouco leiga a ambos.



E a dúvida (maluca) é essa: realmente há ou houve alguma ligação ou influencia entre esses dois mundos?

Beijos com açúcar... "

A Deusa e o Deus


O Divino Feminino


A Deusa foi a primeira divindade cultuada pelo homem pré-histórico. As suas inúmeras imagens encontradas em vários sítios históricos e arqueológicos do mundo inteiro representavam a fertilidade - da mulher e da Terra. Por ser a mulher a doadora da vida atribuiu-se à Fonte Criadora Universal a condição feminina e a Mãe Terra tornou-se o primeiro contato da raça humana com o divino.

Mas afinal, quem é essa Deusa? Só o fato de termos que fazer essa pergunta demonstra o quanto nossa sociedade ocidental formada sob a égide da mitologia judaico-cristã se afastou de nossas origens. Fomos criados condicionados por uma cosmologia desprovida de símbolos do Sagrado Feminimo, a não ser Maria, Mãe Divina, que não tem os atributos divinos, que são reconhecidos apenas ao Pai e ao Filho e é substituida na Trindade pelo conceito de Espírito Santo. Maria é, quando muito, a intermediária para a atuação dos poderes do Deus... "peça à Mãe que o Filho concede..." Mas Maria não é a Deusa, senão um de seus aspectos mais aceitos pela sociedade patriarcal, de coadjuvante do Deus, reproduzindo o fenômeno social do patriarcado em que a mulher auxilia o homem, mas sempre lhe é inferior e, por isso, deve submeter-se à sua autoridade.

Mas a Deusa está ressurgindo. Desde a década de 60, reafirmando-se nas últimas, a descoberta da Terra como valor mais alto a preservar sob pena de não mais haver espécie humana fez decolar a consciência ecológica e o renascimento dos valores ligados à Deusa: a paz, a convivência na diversidade, a cultura, as artes, o respeito a outras formas de vida no planeta.

Cultuar a Deusa hoje significa reconsagrar o Sagrado Feminino, curando, assim, a Terra e a essência humana. Quer sejamos homens ou mulheres, sabemos que nossa psique contém aspectos masculinos e femininos. Aceitar e respeitar a Deusa como polaridade complementar do Deus é o primeiro passo para a cura de nossa fragmentação dualística interior. A Deusa é cultuada como Mãe Terra, representando a plenitude da Terra, sua sacralidade. Sobre a Terra existimos e, ao fazê-lo, estamos pisando o corpo dela, aqui e agora, muito diferente da crença em um deus Onipotente e distante, que vive nos céus. A Deusa é a Terra que pisamos, nossos irmãos animais e plantas, a água que bebemos, o ar que respiramos, o fogo do centro dos vulcões, os rios, as cores do arco-íris, o meu corpo, o seu corpo... A Deusa está em todas as coisas... Ela é Aquela que Canta na Natureza... O Deus Cornífero seu consorte, segue sua música e é Aquele que Dança a Vida... Cultuar a Deusa não significa substituir o Deus ou rejeitá-lo. Ambos, Deus e Deusa são da mesma moeda, as duas faces do Todo. A Deusa é a criadora primordial, o Deus o primeiro criado, e sua dança conjunta e eterna, em espiral, representa a eterna dança da vida.

A Deusa também é a Senhora da Lua e, mais uma vez, a explicação desse fato remonta às cavernas em que já vivemos. O homem pré-histórico desconhecia o papel do homem na reprodução, mas conhecia muito bem o papel da mulher. E ainda considerava a mulher envolta em uma aura mística, porque sangrava todo mês e não morria, ao passo que para qualquer dos homens sangrar significava morte. Portanto, a mulher devia ser muito poderosa, ainda mais que conhecia o "segredo" de ter bebês... É fácil entender porque a mulher era identificada com a Deusa, ou, melhor dizendo, porque a primeira divindade conhecida tinha que ter caracteres femininos... Ainda mais quando as pessoas descobriram que a gravidez durava 10 lunações e a colheita e o suceder das estações seguia um ciclo de 13 meses lunares. O primeiro calendário do homem pré-histórico foi mostrado nas mãos da famosa estatueta da Vênus de Laussel, que segura em sua mão um chifre em forma de crescente, com 13 talhos que representam as lunações. Por sua conexão com a Lua e a mulher, a Deusa é cultuada em 3 aspectos: a Donzela, que corresponde à Lua Crescente, a Mãe representada na Lua Cheia e a Anciã, simbolizada na Lua Decrescente, ou seja, Minguante e Nova.

Na tradição da Deusa a Donzela é representada pela cor branca e significa os inícios, tudo o que vai crescer, o apogeu da juventude, as sementes plantadas que começam a germinar, a Primavera, os animais no cio e seu acasalamento. Ela e a Virgem, não só aquela que é fisicamente virgem, mas a mulher que se basta, independente e autosuficiente. Como Mãe a Deusa está em sua plenitude. Sua cor é o vermelho, sua época o verão. Significa abundância, proteção, procriação, nutrição, os animais parindo e amamentando, as espigas maduras, a prosperidade, a idade adulta. Ela é a Senhora da Vida, a face mais acolhedora da Deusa.

Por fim, a Deusa é a Anciã, que é a Mulher Sábia, aquela que atingiu a menopausa e não mais verte seu sangue, tornando-se assim mais poderosa por isso. Simboliza a paciência, a sabedoria, a velhice, o anoitecer, a cor preta. A Anciã também é a Deusa em sua face Negra da Ceifeira, a Senhora da Morte. Aquela que precisa agir para que o eterno ciclo dos renascimentos seja perpetuado. Esta é o aspecto com que mais dificilmente nos conectamos, porém, a Senhora da Sombra, a Guardiã das Trevas e Condutora das Almas é essencial em nossos processos vitais. Que seria de nós se não existisse a morte? Não poderíamos renascer, recomeçar... Desta forma, é fácil compreendermos porque a Religião da Deusa postula a reencarnação. Se fazemos parte de um universo em constante mutação, que sentido haveria em crermos que somos os únicos a não participar do processo interminável da vida-morte-renascimento? Essa realidade existe no microcosmo do ciclo das estações, da colheita que tem que ser feita para que se reúnam as sementes e haja novo plantio.

É justamente por isso que aqueles que seguem o Caminho da Deusa celebram a chamada Roda do Ano, constituida pelos 8 Sabbats que marcam a passagem das estações. Ao celebrar os Sabbats cremos que estamos ajudando no giro da Roda da Vida, participando assim de um processo de co-criação do mundo. Submeter-se à sua autoridade.

Por tudo o que dissemos fica fácil entender porque os caminhos, cultos e tradições centrados na Deusa são religiões naturais, fundamentadas nos ciclos da natureza e no entendimento de seus elementos e ritmos. Estas práticas de magia natural usam a conexão e correlação dos elementos da natureza - Água, Terra, Fogo e Ar, as correspondências astrológicas (signos zodiacais, influências planetárias, dias e horários propícios, pedras minerais, plantas, essências, cores, sons) e a sintonia com os seres elementais (Devas Guardiões dos lugares, Gnomos, Silfos, Ondinas, Salamandras, Duendes e Fadas).


A Deusa e o Deus

"Todas as Deusas são uma só Deusa, todos os Deuses são um só Deus."

Conquanto a Deusa presida a pulsação vital constante do Universo, é imprescindível que entendamos o papel do Deus. Ela é a Senhora da Vida, mas Ele é o Portador da Luz; Ela é o ventre, Ele o falo ereto; Ela gera a vida, Ele é a faísca que inicia o processo, em plena harmonia, sem predomínios nem competições, mas pela completa união... Ambos parceiros no desenrolar da música e dança que criam e recriam o universo ainda hoje... Na Primavera Ela é a Donzela, Ele o Deus Azul do Amor... No verão ela é a Mãe, grávida, ele o Galhudo, o Deus da Vegetação e dos Animais, Cernnunnos... No outono ele desce para o Mundo Subterrâneo, como o Deus Negro do Mundo Inferior, do sacrifício e da Morte e Ela a Anciã que abre os portais e o acolhe durante sua transmutação. No inverno ele renasce do próprio ventre escuro da Deusa, que quase torna, assim, a um só tempo, sua consorte e sua mãe...


O Deus Cornífero



O Deus realmente é deixado de lado muitas vezes nos cultos pagãos, como se a energia da Deusa pedisse essa dedicação exclusiva. Isto é verdade em parte, porque, não é possível cultuar o Deus adequadamente enquanto não mergulharmos na Deusa e nos despirmos do Deus do patriarcado.

Quando no curso de nosso caminho - e isso demora até anos (mas vaira muito de pessoa para pessoa) - está na hora do Deus voltar, a própria Deusa nos mostra seu Filho, Consorte, Defensor, Ancião. O Deus aparece, tríplice como a Deusa.

O Deus Jovem é, antes de tudo, a Criança da promessa, a semente do sol no meio da escuridão. Depois, é o Garoto do Pólen, o fertilizador em sua face mais juvenil, e traz a energia da alegria de viver, o poder de se maravilhar ante as descobertas da vida, é o experimentador, a face mais sorridente do sol matinal.

Daí surge o Deus Azul do Amor, o rapaz que cresceu e chegou na adolescência e desabrocha em beleza e masculinidade, é o Jovem Deus da Primavera, percorre as Florestas e acorda a natureza. Ele é o Apaixonado, aquele que primeiro busca a Deusa como a Donzela e propicia o encontro... Ele é o Deus da sedução ainda inocente, que não conhece os mistérios da Senhora ainda... ele é toda possibilidade.

Depois ele é o Galhudo e o Green Man... O Deus é o macho na sua plenitude, O Senhor dos Chifres que desbancou o gamo-rei anterior, ele é força e poder, músculos e vitalidade, ele cheira a sexo e promessas. Ele é o Grande Amante, atraído irresistivelmente pela Senhora ele é o Provedor, o Sustentador, o Senhor Defensor. Ele é o Senhor das Coisas Selvagens, o Deus da Dança da Vida, O Falo Ereto, O Fertilizador. Como Green Man ele também é o Senhor da Terra e sua abundância, o parceiro da Senhora dos Grãos. O Senhor dos Brotos, aquele que cuida dos frutos e os distribui pela terra.

Mas o Deus é também O Trapaceiro, o Senhor da Embriaguez, o Desafiador e o Ancião da Justiça. Ele nos faz seguir um caminho e nos perdemos para conhecer o pânico de Pan... ele nos deixa loucos como Dionisio, ou perdidos nos devaneios de Netuno... ele é o Desafiador, seja nos duelos, seja na guerra, na luta pela sobrevivência... ele é caprichoso e insidioso, ele nos engana, nos deixa desesperados e sorri - porque esse é seu papel; estimular o novo, mostrar que nosso desespero é inútil e só nos escraviza...

Como a Deusa, Ele está na fome e no fim da fome, na vida e na doença terminal, na luz e na sombra, no que é bom para você e no que é mau... A Deusa nunca está só, ela tem sua contraparte masculina e, no entanto, Ele só existe por amor a Ela... alias, todos nós somos fruto dessa dança de amor. O Deus é o Ancião sábio, o distribuidor da Justiça, seja a que se impõe com sabedoria ou raios... Ele conhece os segredos dos oráculos, mas sabe que são Dela... ele é o repositório do conhecimento, mas a sabedoria é Dela... ele lê os sinais da natureza, mas sabe que quem os escreve é Ela.

E o velho sábio vai murchando e se transforma no Senhor da Morte... ele que é o Senhor de Dois Mundos, pois no ventre dela, de volta, ele vive sua morte e a própria ressurreição. Mistério e segredo, morte e retorno, Ele é o que atravessa os portais dos quais Ela é a Senhora. Ele, o Caçador, que também faz o papel de Ceifador... Ele que ronda o leito dos moribundos e dança a dança da morte. O Senhor dos esqueletos.

Ele que na dança da morte retoma o brilho do sol e sua face negra se ilumina, em uma explosão impossível de conter, e Lugh nasce outra vez...

Ele que é Pai, Filho, Bebê Iluminado, Amante Selvagem, Sábio Educador... ele, o Deus que se revela apenas pela Deusa.

O Princípio Criador


Para a Wicca, existe um Princípio Criador, que não tem nome e está além de todas as definições. Desse princípio, surgiram as duas grandes polaridades, que deram origem ao Universo e a todas as formas de vida.

Princípio Feminino

A Grande Mãe representa a Energia Universal Geradora, o útero de Toda Criação. é associada aos mistérios da Lua, da Intuição, da Noite, da Escuridão e da Receptividade. é o inconsciente, o lado escuro da mente que deve ser desvendado. A Lua nos mostra sempre uma face nova a cada sete dias, mas nunca morre, representando os mistérios da Vida Eterna. Na Wicca, a Deusa se mostra com três faces: a Virgem, a Mãe e a Velha Sábia, sendo que esta última ficou mais relacionada à Bruxa na imaginação popular. A Deusa Tríplice mostra os mistérios mais profundos da energia feminina, o poder da menstruação na mulher, e é também a contraparte Feminina presente em todos os homens, tão reprimida pela cultura patriarcal.

Princípio Masculino

Da mesma forma que toda luz nasce da escuridão, o Deus, símbolo solar da energia masculina, nasceu da Deusa, sendo seu complemento, e trazendo em si os atributos da coragem, pensamento lógico, fertilidade, saúde e alegria. Da mesma forma que o sol nasce e se põe, todos os dias, o Deus nos mostra os mistérios de Morte e do Renascimento. Na Wicca, o Deus nasce da Grande Mãe, cresce, se torna adulto, apaixona-se pela Deusa Virgem, eles fazem amor, a Deusa fica grávida, o Deus morre no inverno e renasce novamente, fechando o ciclo do renascimento, que coincide com os ciclos da Natureza, e mostra os ciclos da nossa própria vida. Para alguns, pode parecer incestuoso que o Deus seja filho e amante da Deusa, mas é preciso perceber o verdadeiro simbolismo do mito, pois do útero da Deusa todas as coisas vieram, e, para ele, tudo retornará. E, se pensarmos bem, as mulheres sempre foram mães de todos os homens, pelo seu poder de promover o renascimento espiritual do ser amado e de toda a Humanidade. O sentido profundo do simbolismo na Bruxaria só pode ser verdadeiramente entendido através da meditação e do contato intuitivo com a energia dos Deuses.

Paganismo

O Neo-Paganismo é um movimento religioso / espiritualista / ecológico que vem crescendo consideravelmente nos últimos anos por todo o mundo, e principalmente nos Estados Unidos. A palavra Pagão vem do latim Paganus, que quer dizer "aquele que vive no campo", ou "aquele que vive do campo".

Chamamos de povos Pagãos, aqueles que na Antigüidade tinham nos campos e plantações seu sustento, a base de sua vida. A Terra era, portanto, sagrada para eles. Toda a sua cultura e religião giravam em torno da Natureza: a época das colheitas, as estações, os Solstícios, etc. Muitos dos povos Pagãos eram politeístas, atribuindo aos deuses faces da Natureza com que conviviam. Assim, havia o deus do Sol, a deusa da Lua, o deus da caça, a deusa da fertilidade, etc. Foram Pagãos os povos Gregos, Romanos e Celtas, por exemplo. Uma característica muito marcante da religião Pagã é a existência de deuses e deusas, às vezes com igual poder, e muitas vezes tendo-se a figura feminina como dominante.

Tomemos os povos Celtas por exemplo. Antes de serem influenciados pelo Cristianismo, sua cultura era totalmente matriarcal. As cerimônias religiosas eram conduzidas por sacerdotisas, a medicina era praticada pelas curandeiras, as decisões tomadas pelas Sonhadoras, e o deus não passava do Consorte da Deusa, a Grande Mãe. Como religião, o Paganismo busca, portanto, o equilíbrio, o casamento perfeito entre masculino e feminino, tanto no mundo exterior como dentro de cada indivíduo.

O Neopaganismo busca reviver o modo de vida desses povos. Paganismo porque retoma suas crenças a práticas, e Neo porque tem que se adaptar ao novo modo de produção Capitalista, e muitas vezes à vida urbana. Milhares de pessoas em todo o mundo passam a olhar para a Lua de uma maneira diferente, e a celebrar as estações mais uma vez. As árvores voltam a ser sagradas, e as fogueiras da Primavera são reacesas. Ser Neopagão é estar na Terra, e tê-la dentro de si mesmo.

O Deus Masculinizado




No mundo judaico-cristão a idéia de um Deus Masculino (seria mais correto dizer: Deus Masculinizado) nasce com a revelação da Thorah. O primeiro versículo da Bíblia Hebraica diz: BERESCHIT BARA ELOHIM (No princípio criou Deus).

A palavra Elohim (Deus) é do genero masculino plural. Masculino e não feminino. Nasce assim, toda uma mentalidade e uma maneira de nomear a Divindade. Elohim é um Deus Masculino, criador dos Céus e da Terra e formador da humanidade. Os outros nomes usados para a Divindade na Bíblia, também serão masculinos. Isto seguirá uma lógica cirúrgica, pois o Deus Masculino criará primeiro um homem e o favorecerá com uma parceira sexual: a mulher.

A história bíblica continua. Abraham (o patriarca Abraão) deixa sua cidade em Ur na Caldéia e busca um paraíso para a futura Tribo Hebraica. A Terra escolhida assusta a mentalidade constituída. Canaan orbita na cultura politeísta do fértil Tigre-Eufrates. Ali, deusas da terra compartilham seu leito com deuses do Céu. A Natureza exala seu perfume sedutor e os animais transcendem sua forma, revelando seu simbolismo iniciático. A Bíblia reconta a mitologia assirio-caldáica e a masculiniza. A harmonia dos contrários (yin-yang) é monopolarizada. O feminino desaparece dentro do masculino. O Patriarca Abraham ouve o chamado de seu Deus e funda uma religião centrada no homem, no Céu e no culto de um deus solitário. Fundamentando o sagrado masculino, um rito santificará o maior símbolo do poder dos homens: o pênis. O Rito da Circuncisão é uma aliança entre o macho e seu deus. As mulheres estão de fora, são profanas, não participam do ato religioso.

Entra em cena um segundo e importante personagem: Moisés. Educado no Egito dos Faraós, entre deuses e deusas que se misturam à vida quotidiana, Moisés aproveita a sólida teologia egípcia e reforma o antigo legado de Abraham. Ele é o homem que recebe a Lei das mãos do viril Deus de nome impronunciável: YHVH. O sacerdócio mosaico não abriga mulheres, não existem sacerdotisas. Todas as reminescências do paganismo assírio-egípcio são passadas numa peneira. Com Moisés o feminino sagrado deixa de existir. Judeus e cristãos não conhecem o poder sacerdotal da mulher. Definitivamente, Moisés coloca uma barba em Deus e leva para longe do Templo aqueles estranhos seres que sangram com a Lua: as mulheres!

Agora é a vez de um novo personagem: Yeschua Bar-Yoseph, mais conhecido como Jesus de Nazaré. Judeu por nascimento, grande conhecedor das escrituras sagradas de seu povo, ele não criou nenhuma religião. Jesus foi judeu até o fim de sua vida. Pregador carismático, poeta, andarilho, Jesus era seguido por homens e principalmente por mulheres. Os ensinamentos de Jesus, uma reinterpretação da Thorah a partir dos pobres de carne e de espírito, foi utilizado como instrumento de justificação para a tortura e a morte de milhares de mulheres. Com Abraham, Moisés e Jesus, estão formadas as bases teológicas do masculinismo sagrado. Um mundo onde o feminino apenas transparece.

Fora do mundo judaico-cristão, ideologicamente, uma brisa pareceu favorecer as mulheres. Contudo, o excessivo romantismo atrapalha bastante o discernimento dos modernos grupos pagãos e wiccanos. Uma rápida olhada na situação da mulher nas culturas nativas da América ou da áfrica, traça uma triste história de mutilações, raptos e escravidão familiar. Mas, não entraremos aqui em difíceis e insolucionáveis questões culturais. Houve um tempo, porém, em que a Divindade era adorada como mulher. Para o homem primitivo, pensar no divino como extensão de si mesmo era natural. A mãe, origem de tudo, parece o exemplo mais próximo e familiar.

Por volta de 70.000 AC, encontramos o Culto do Urso na Europa. Segundo paleoantropólogos, este foi o culto mais antigo no continente. Os primitivos olhavam o urso como um ancestral, um avô. Onde é hoje a cidade suiça de Berna (ber é urso em alemão), foram encontradas várias grutas datadas da idade atrás mencionada. Suportes, pedras-ara, ossadas humanas e ursídeas, indicavam a função sagrada daquele lugar.

O que mais chama a atenção é uma estranha evidência. Estamos predispostos a chamar esta primitiva e espontânea religião de "Culto do Urso". Mas, na verdade, assistimos ao nascimento do primeiro culto ao feminino: o "Culto da Ursa".

A Grande Ursa é o arquétipo da Deusa Mãe protetora, altiva, fecundadora e fértil. Sua aparência quase-humana, nos remete ao mistério da feminilidade. As deusas-animais sobreviventes beberam, direta ou indiretamente, do leite da Grande Ursa:
- Artio, Callisto, Rhpisunt: queridas deusas-ursa;
- Acca Laurentia, Spako, Rhea Silvia: temíveis deusas-loba;
- Epona, Hekate, Menalippe, Samjuna: incompreendidas deusas-égua.

Caminhando pelo universo maternal e divino, notamos que as mais antigas obras de Arte são imagens de mães. Encontradas entre as datas de 35.000 a 10.000 AC, da áfrica à Europa, elas forma batizadas de "Vênus": a Vênus de Willendorf, a Vênus do Nilo, etc. Na Antiga Grécia as primitivas divindades femininas são substituídas e resignificadas pelo patriarcalismo oriundo da ásia Menor. Exemplos disso são: Ariadne, a Toda-Poderosa Senhora Mãe da Ilha de Creta, transforma-se em personagem secundária da Mitologia; Hekate, Deusa Universal é jogada vergonhosamente no Submundo; as aladas e benéficas Sereias são encarceradas no mar e tornam-se sedutoras malignas de homens. Os Cultos Agrários da Velha Roma também mudados. O Sacerdócio Feminino dos Sabeus, perde para o ícone do machismo religioso do Ocidente: o sacerdote estatal Romano. Estes personagens deixarão herdeiros seculares: os padres católicos. Roma dará um golpe quase fatal no coração feminino. Ela transfere o sacerdócio da mulher no Templo para o pé da lareira, em casa.

É importante que o Movimento Neo-Pagão saiba o que quer. Queremos uma volta às antigas tradições, mas mesmo entre os pagãos existiam (e existem) machistas. Antes de Roma e Grécia, o Egito deu o exemplo. Os Cultos e as divindades Lunares são trocados pelos Solares. Os deuses diurnos ofuscam os noturnos, os deuses luminosos apagam os sombrios. Sombra e escuridão passam a ser sinônimos de maldade e perigo. Na índia pré-Védica, os invasores indo-europeus submetem os povos druídas e o sacerdócio centrado na Terra Mãe. Mais uma vez a ocorre a injusta substituição. Kali, Naga, e outras Deusas telúricas viram acompanhantes de deuses dominadores.


Criei este blog com a intenção de ajudar a outros, que, assim como eu, anseiam por algo que não conhecem, escutam o chamado, e mesmo sem saber como, precisam fazer algo a respeito…e também para ajudar aos que buscam uma palavra de carinho, ou mesmo uma singela ajuda espiritual para enfrentar seus problemas.

Tenho o objetivo de compartilhar com meus amigos e leitores os meus estudos,pesquisas e o que leio sobre assuntos relacionados a Grande Arte.

Eu não compartilho nada em que não acredite…coleto os textos de fontes que considero seguras e verdadeiras e repasso a vocês com os créditos para que tenham a liberdade de procurar e saber mais sobre o autor. Procuro sempre colocar os créditos abaixo das postagens, se acaso esquecer alguma, por favor, avisem-me que colocarei imediatamente.

Espero que possamos caminhar juntos,rumo à Luz e a Sabedoria!Grandes bênçãos a você, amigo visitante!

Boa Viagem!


DEIXA RECADOOOOOOOO

"O aprendiz que você é hoje antevê o mestre que você vai ser. Conhecimento só é poder quando passado para frente. A sabedoria é poder para O OUTRO. Se você é um aprendiz, mas se recusa a ser um mestre, seu aprendizado foi estéril, inútil e provavelmente irreal. Quem aprende DE VERDADE passa o conhecimento para frente."